Bahia e Cruzeiro empatam na Fonte Nova | Com vídeo - O BahiaNaRede

Post Top Ad

Post Top Ad

sábado, 20 de julho de 2019

Bahia e Cruzeiro empatam na Fonte Nova | Com vídeo

Com um jogador a menos no segundo tempo, o Bahia fez uma partida de muita raça e superação na Fonte Nova, e apesar de ter pressionado o Cruzeiro, ficou no empate em 0 a 0 na noite deste sábado (20), pelo Campeonato Brasileiro.

O atacante Lucca fez a sua estreia contra o Cruzeiro.
Da redação com informações do ECB
Colaboração de foto: Felipe Oliveira/ECB

Após a sexta partida sem vencer, o Bahia soma 15 pontos na tabela de classificação da Série A, aguardando ainda os outros resultados da 11ª rodada, podendo perder até duas posições ao final. A equipe volta a campo pelo Brasileirão no próximo domingo (28), quando enfrenta a Chapecoense, em Chapecó.

Em campo, Bahia e Cruzeiro variaram bastante suas estratégias na etapa inicial. Sempre marcando com todos os homens atrás da linhas da bola, quando tinham a posse, trocavam muitos passes e cadenciavam o jogo. Já os contra-ataques eram definidos rapidamente. Se sobrou aplicação tática, faltou mais eficiência ofensiva aos dois lados.

Sassá e Gregore disputam bola no meio de campo.
Os goleiros pouco foram exigidos e foram seguros nos raros chutes de longa distância. A melhor chance dos primeiros 45 minutos foi do time mineiro, logo aos 13, num lance de bola parada em que a bola sobrou livre para Éderson marcar quase na pequena área, mas ele carimbou a trave. Aos 43, o atacante Arthur Caíke recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, o que mudou todo o panorama para a etapa final.

Contudo, quando se esperava que o Cruzeiro fosse para cima, o que aconteceu foi contrário, com o Bahia crescendo sua produção ofensiva e dominando as ações. Em boa estreia, Lucca ameaçava partindo para cima dos defensores e empurrando o time mineiro para o campo de defesa, mas com o adversário recuado, as melhores oportunidades surgiram mesmo em lances de escanteio e chutes do fora.

Aos 16, Juninho arriscou de longe e Rafael espalmou para fora. Aos 19, o zagueiro tentou novamente de cabeça, após córner batido por Artur, mas a bola foi para fora. Seguro na defesa e evitando a maioria dos contra-ataques do Cruzeiro, o Bahia tentou o gol do triunfo até o fim, mas o placar terminou mesmo em 0 a 0.

Roger Machado conversou com a imprensa


Roger Machado conversou com a imprensa após o empate.
O técnico Roger Machado conversou com a imprensa após o empate. O treinador falou analisou o desempenho do Bahia na partida, elogiando a postura da equipe, sobretudo no segundo tempo, quando atuou com um jogador a menos em campo. “Não vi um primeiro tempo fraco. Vi um primeiro tempo trancado, porque o Cruzeiro fechava muito bem os espaços, e a gente não circulava a bola com velocidade nem tampouco conseguia chegar com lucidez perto do gol. A partir da expulsão, num lance que falei com Arthur Caíke de um misto de imprudência, com rigor excessivo da arbitragem, o Cruzeiro talvez tenha imaginado que teria um pouco mais de espaço, e a gente conseguiu se superar. As jogadas começaram a aparecer porque o Cruzeiro abriu mais seu campo e nos permitiu espaço. O que tinha todos os elementos para se transformar numa tragédia, acabou saindo com saldo positivo. Esse jogo era bastante especial porque todos gostariam de ver como reagiríamos após a perda da classificação na Copa do Brasil. Mesmo não vencendo, a gente conseguiu resgatar a confiança no jogo. Isso foi muito importante. Foi um segundo tempo gigante, mesmo com um jogador a menos”, comentou.


Em seguida, Roger falou sobre o desempenho individual de alguns jogadores. “A gente está sempre preocupado com os insucessos. Sempre há oportunidade para evoluir em algum aspecto e a luz está sempre acesa. Com o empate, conseguimos ganhar uma posição. Preciso deixar registro para meu torcedor, que é nosso combustível. A partir do momento que a gente entregou dentro de campo o que ele queria, ele veio conosco. Hoje, alguns jogadores que estrearam foram muito bem, principalmente o Lucca, com uma mobilidade muito grande, característica que a gente não tinha dentro do grupo. Ronaldo foi bem. Flávio, como companheiro do Gregore, e depois como lateral. Zagueiros jogaram muito bem. Juninho fez o jogo do Lucas crescer. Claro que a gente não fica satisfeito, mas pelo contexto do jogo, importante que frise, o saldo acabou sendo positivo”.

Por fim, o técnico do Bahia avaliou o resultado e a sequência no campeonato. “Não considero normal a gente empatar em casa. No futebol, sempre o copo está meio cheio. Até anteontem, a gente estava próximo de fazer história. O Brasileiro, embora importante, todos entendiam que na 11ª colocação estávamos fazendo uma boa campanha. A partir da eliminação, o copo virou meio vazio. Mas isso faz parte de nossa rotina. Não costumo me apegar muito a uma escalação fixa, mas é o rendimento que vai dizer. O campo dá o tom. Perdi o Douglas, ganhei o Ronaldo, tive o Lucca entrando muito bem. Não tive o Elton nem o Élber. Não tive o Nino, mas tive o Ezequiel. Queria que meus jogadores dessem uma resposta parecida com esta. Todo mundo cansado no vestiário, mas com a confiança retomada”, finalizou.


Bahia 0 X 0 Grêmio - 11ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA-SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
VAR: Marcio Henrique de Gois comanda, com auxílio de Vinicius Furlan e Anderson José de Moraes Coelho (todos de SP).
Cartões amarelos: Arthur Caíke (duas vezes), Ezequiel (Bahia) / Cacá
Cartões vermelhos: Arthur Caíke (Bahia)
Bahia:  Douglas; Ezequiel (Ronaldo), Lucas Fonseca, Juninho e Giovanni; Flávio, Eric Ramires (Lucca) e Gregore; Arthur Caíke, Artur e Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado.
Cruzeiro: Rafael; Weverton, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Éderson, Ariel Cabral, Jadson e Maurício (Rafael Santos); David e Sassá (Vinícius Popó). Técnico: Mano Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad